2010

we think, we like that a movement piece :: Cristian Duarte e Paz Rojo (São Paulo/Madri)

4 e 5 de novembro, quinta e sexta, 20h

primeiro e segundo experimento

we think, we like that funciona como uma peça de dança usual. Movimento. Corpo e espaço. Espaço e corpo. O que pode ser um, dois ou mais corpos sustentando a questão do NÓS? Como elaborar um discurso físico da intercorporeidade e inter-relação que os sutenta? Esta peça de movimento consiste na criação de uma construção que insiste na manutenção do problema e da questão de quem, o que, para que e como… NÓS. Entre a significação e o nome, como se fossemos crianças, ou como se a nossa curiosidade e tonalidades não fosse outra senão estar-em-contato-com e fazer-sem-futuros.

we think, we like that é uma formulação cênica gerada dentro de “a piece…together?” – um campo de trabalho que investiga diferentes práticas artísticas, arquivos de experiências, performatividade e experimentos entre a palavra, a ação e a experiência inter corporal.

Cristian Duarte e Paz Rojo encontraram-se em 2001 em Utrecht/Holanda no contexto do festival Springdance-Dialogues. Deste encontro realizaram a criação Basic Dance que foi apresentada em diversos festivais e teatros na Europa entre 2004-2006 (Amsterdã, Viena, Madri, Barcelona, Berlim, St. Petersburgo, Tallin, entre outros). A plataforma “a piece… together?” foi criada por ambos com o desejo de promover um fluxo de intercambio, criação e produção entre seus respectivos países e contextos.

Projeto Teorema
curadoria Fabiana Dultra Britto
6 e 7 de novembro, sábado e domingo, 17h

Teorema reúne artistas e teóricos de dança em apresentações abertas ao público. Neste ano quatro trabalhos foram selecionados e um debatedor foi convidado para participar deste “Teorema Demonstrativo”com a curadora do projeto Fabiana Dultra Britto.

Nesta sua terceira edição no Festival Contemporâneo de Dança, o “Teorema Demonstrativo” retoma o seu propósito original de formação e reforça seu papel articulador entre os dois campos existentes para atuação/composição em dança: um que se baseia e se nutre do ambiente acadêmico e outro que se baseia e se nutre do ambiente de processos informais.

Seu foco será o reconhecimento desses diferentes regimes de elaboração artística e inserção no mercado, para colocar em debate os sitemas atuais de produção de conhecimento em dança e o papel dos festivais, eventos e centros educativos (de universidades a escolas livres) na ignição do curto circuito entre padrões de pensamento e comportamento sobre a dança.

Dia 6: Padedéu – Kênia Dias (MG), Canteiro de Obras – Deca Madureira (PE)

Dia 7: Trote e Galope – Michelle Moura (PR), Ausculta – Sabrina Kelly Caetano (Araraquara/SP)

Convidada para o debate: Rosa Hercoles – Coordenadora do curso de graduação Comunicação das Artes do Corpo da PUC-SP

Fabiana Dultra Britto é crítica de dança e Coordenadora do programa de Pós-Graduação em Dança da Universidade Federal da Bahia.

Dance (Praticable) :: Frédéric Gies (Berlim)

6 e 7 de novembro, sábado e domingo, 20h
O trabalho é baseado em uma partitura que pode ser executada como um solo ou por um grupo. Substituindo estilos de dança por qualidades de movimento, propõe uma desestabilização da autoria. Esta peça é também uma coreografia de passagem, uma experiência cinestésica, em que o corpo muda continuamente de textura e forma, em silêncio ou com a música da Madonna.

Frédéric Gies é integrante do coletivo Praticable de Berlim. Há dez anos cria suas próprias peças, solos e colaborações com outros coreógrafos como Jefta van Dinther, DD Dorvillier, Frédéric de Carlo, Isabelle Schad, Alice Chauchat and Manuel Pelmus. Seu trabalho se concentra em práticas corporais como forma de gerar coreografia e abordar representação.

Still – sob o estado das coisas :: Gustavo Ciríaco (Rio de Janeiro)

11 e 12 de novembro, quinta e sexta, 20h

Há um universo inicial. Natureza-morta. Ou antes em inglês: STILL LIFE. Objetos retirados do movimento da vida, do seu fluxo e congelados ali para o nosso olhar. Vida em suspensão. Desse universo, permanece o still. Quando a fotografia estava em seus primeiros momentos, o fotógrafo ao fazer o retrato, gritava: Still! E as pessoas ficavam ali paradas, em pausa incerta de segundos a minutos, até que houvesse tempo da imagem ser gravada no papel. Um instante extenso, algo que ainda acontecerá ou que ainda não é, mas está prestes a existir. Aqui.

Gustavo Críaco - Ex-cientista político, bailarino e performer, criador de espetáculos e performances contextuais. O seu trabalho é marcado pela construção de situações em tempo real, nas quais a presença e o presente são elementos-chaves. Atua na Europa, Ásia e América Latina, em projetos, residências e parcerias com diferentes artistas e instituições. Em 2010, participa da exposição Art and Dance since the 60′s, na Hayward Gallery, em Londres, e do projeto Drifting, em Taipei.

Still recebu o Prêmio APCA 2007 para Concepção em Dança e foi indicado ao Prêmio Bravo de melhor espetáculo de dança de 2007.

Aqui enquanto caminhamos :: Gustavo Ciríaco (Rio de Janeiro)

13 de novembro, sábado, 11h, 15h e 17h

Os artistas Gustavo Críaco e andrea Sonnberger levam o público para uma caminhada urbana. Inspirada na longa tradição que une o caminhar a produção de pensamento e lucidez, os dois performers fazem uma jornada silenciosa através da cidade. Um contato que muda com o espaço que os move e é movido simultaneamente.

Este trabalho foi criado como parte do projeto Encontros 2005/06, uma iniciativa do Alkantara (Pt) em colaboração com o festival Panorama (Br).

The Croquis Reloaded :: Cuqui Jerez e Cristina Blanco (Madri)

13 e 14 de novembro, sábado e domingo, 20h

Enquanto penso em começar este texto Amy canta no rádio
Enquanto penso em começar este texto ele fala no Skype
Enquanto penso em começar este texto alguém desce as escadas
Enquanto penso em começar este texto a porta abre
Enquanto penso em como começar este texto texto diferentes fontes
Enquanto penso em começar este texto ela passa batom
Enquanto penso em começar este texto ela passa batom outra vez
Enquanto penso em começar este texto você lê o texto
Enquanto penso em começar este texto penso em começar este texto
Enquanto penso em começar este texto largo a caneta
Enquanto penso em começar este texto tomo um café com leite

Cuqui Jerez - Estudou dança em Madri e Nova York. Desde 1990 Cuqui tem trabalhado como dançarina e performer em companhias de dança, filmes e produções. Criou diversas peças, entre elas: “A space odyssey” (2001), “The real fiction” (2005), “The neverstarting story” em colaboração com Maria Jerez, Cristina Blanco e Amaia Urra e “The croquis reloaded” (2009).

Cristina Blanco - Graduada em Teatro Gestual pelo RESAD (Madri) em 2002. Cristina trabalhou em diversas companhias, curtas metragens e cantou em várias bandas. Em 2004 criou seu primeiro solo “cUADRADO_fLECHA_pERSONA qUE cORRE” premiado no Jardin D’Europe Impulstanz 2008. Em 2006 criou “Caixa preta_caja negra” em colaboração com Claudia Müller no projeto Encontros Imediatos.

ponto.CRISE :: Projeto DR (São Paulo)
14 de novembro, domingo, 17h

Uma palestra-ensaio. Uma autocartografia, um estudo de nossa produção recente, uma avaliação / crítica / crise como mapa daquilo que já ou ainda não fizemos e como possibilidade de nova experiência do presente. Segundo Jorge Larossa o ensaio “aparece como eu, como sujeito moderno, mas não em sua força, em seu orgulho, mas em sua precariedade, em sua relatividade, em sua contigência”. Daí emerge a possibilidade de resgate e autoficção de ponto.CRISE.

Projeto DR: Laura Bruno, Mara Guerrero, Sheila Arêas e Tarina Quelho - Nos últimos anos tem existido como tentativa de projeto continuado para discutir as relações entre processo artístico e produto, formalização em dança, criação colaborativa, formas de produção e difusão de dança. Os últimos trabalhos Episódico (2008/2009) e Ensaio (2009) eram construções de “espetáculos não-espetaculares”, e discutiam metalinguisticamente estes assuntos no próprio espetáculo, detonando a ideia de espetáculo como “produto acabado, pronto para o consumo”.

]
OFICINAS DE CRIAÇÃO

Dance (Praticable) com Frédéric Gies
2, 3, 4 e 5 de novembro, das 14h às 19h30

Nesta oficina  Frédéric Gies irá orientar os participantes no processo de interpretação de um excerto da partitura de Dance (Praticable). Para isso o trabalho focará em práticas que convidam os paticipantes a explorar fluxos e sistemas fluidos do corpo. Estas explorações serão a base para a interpretação da partitura. O grupo Investigará as questões que surgem em torno do conceito de interpretação no contexto específico desta peça.

Frédéric Gies é integrante do coletivo Praticable de Berlim. Seu trabalho se concentra em práticas corporais como forma de gerar coreografia e abordar representação.

Versões com Cuqui Jerez e Cristina Blanco
11 e 12 de novembro das 14h às 19h

A oficina consistirá em uma prática de investigação com base no conceito de versão e, portanto, de variação. A partir de ações, textos, cenas de filmes e imagens, o trabalho focará em como traduzir estes originais para outras linguagens, meios e formatos. Será uma busca de possíveis ferramentas para criar novas versões. Um exercício de observação sobre como a linguagem se transforma ao criar uma nova realidade e qual a relação que se produz com a memória do material incial.

Cuqui Jerez - Estudou dança em Madri e Nova York. Desde 1990 Cuqui tem trabalhado como dançarina e performer em companhias de dança, filmes e produções. Criou na última década diversas peças.

Cristina Blanco - Graduada em Teatro Gestual pelo RESAD (Madri) em 2002. Seu solo cUADRADO_fLECHA_pERSONA qUE cORRE foi apresentado em vários festivais e recebeu o prêmio “Jardin D’Europe Impulstanz 2008″.

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.